Livia Ribeiro Gondim – Instituto de Medicina Integral Profº Fernando Figueira – Recife/PE

Imagens

História clínica

Paciente, 58 anos, sexo feminino, com queixa de dor abdominal e perda ponderal significativas iniciadas em maio de 2021. Exame físico sem alterações e colposcopia dentro da normalidade. Investigação com ressonância magnética de pelve e de abdômen mostrou: volumosa formação expansiva sólido-cística, predominantemente cística, na região anexial esquerda, medindo cerca de 19,0 cm no seu maior eixo. A lesão é multiloculada, com sinais de rotura em seu componente posterior, associado a ascite mucinosa por pseudomixoma peritoneal, destacando-se pequenos implantes mucinosos justacapsulares hepáticos em particular na interface sub-diafragmática. Destaca-se, também, insinuação de cisto anexial em região de cicatriz umbilical. O ovário direito era de difícil visualização, porém sem massas suspeitas. Os marcadores séricos estavam alterados como alfa-fetoproteína (AFP) acima de 20.000 ng/ml,  CA125 de 179 U/ml com CEA e CA19.9 dentro dos valores da normalidade.

A paciente foi submetida a salpingectomia e ooferectomia a esquerda, sendo encaminhada peça cirúrgica para processo de congelação no setor de Patologia. O laudo deste procedimento foi liberado como tumor ovariano com células atípicas (possivelmente serosas) com extensa necrose superficial, sendo necessário cortes representativos na análise do material da parafina, para definição diagnóstica. Posteriormente foi encaminhado ao mesmo setor, uma citologia oncótica de lavado peritoneal junto com um produto de ressecção de útero + anexos direitos, linfonodos ilíacos externos a esquerda e obturatório esquerdo, e fragmentos de aponeurose de cicatriz umbilical, além de omento.

Imagens

© Todos os direitos reservados a Sociedade Brasileira de Patologia | ANVISA: 2022084915